Decorar um imóvel é uma tarefa tão importante quanto escolher uma roupa para uma ocasião especial. Existem muitas combinações possíveis, marcas famosas que podem ser escolhidas e tendências para serem seguidas. Falando em tendência, uma das mais populares é a decoração minimalista. Você já ouviu falar dela?

O minimalismo é um estilo de vida. Nele, a pessoa escolhe consumir produtos de forma mais consciente. Isso significa evitar as compras por impulso. Esse conceito vem sendo aplicado também em projetos de decoração.

Acompanhe este artigo até o final para aprender mais sobre o tema!

A história da decoração minimalista

Não existe consenso sobre a origem desse estilo. Algumas pessoas acreditam que o minimalismo na decoração surgiu após a Segunda Guerra Mundial, devido à escassez de recursos. Outros indivíduos creditam o surgimento do estilo ao artista russo Kasimir Malevitch, em 1913.

Contudo, o que realmente importa é que essa opção de decoração chama a pessoa para uma reflexão, na qual ela analisa a necessidade dos objetos que tem, desfazendo-se de tudo o que não utiliza.

Aplicação prática da técnica

Ambientes minimalistas optam por uma mobília 100% funcional. Nada está lá apenas para preencher o vazio. Por isso, é recomendado que os móveis tenham mais de uma função. Um baú pode servir para guardar objetos, enfeitar o cômodo e ainda ser usado como banco.

Os materiais utilizados buscam contribuir para a sobriedade do ambiente. Madeira, couro, aço e bronze são exemplos de elementos que costumam atingir esse resultado.

As cores costumam oscilar entre tons claros, como o branco e os mais escuros e frios, como cinza. A parede de aparência de cimento queimado, que tem se tornado bastante popular, é um exemplo de tom cromático minimalista, já que é fria e sóbria.

Por fim, destacamos que a mobília deve ter, preferencialmente, traços retos e sem estampas. Isso ajuda a tornar o local mais limpo visualmente.

A iluminação em um projeto minimalista

Esse tipo de ambiente é bem iluminado, aproveitando a claridade natural. O uso de pendentes, como lustres, não é indicado. O ideal é que se usem spots integrados ao teto, já que eles são mais discretos. Isso não significa que peças como abajures ou lustres estejam proibidos, apenas não são comuns, pois costumam sobrecarregar visualmente o local.

É muito usual ter um ponto de luz direcionado a um objeto que mereça destaque. Ele pode ser uma obra de arte, uma planta, uma peça do mobiliário ou até mesmo uma parede.

Como vimos, a decoração minimalista busca tornar um projeto funcional, belo e sóbrio. Essa pode ser uma alternativa para quem quer ter uma casa moderna e sem toda a bagunça que o acúmulo de objetos pode gerar.

Contudo, em decoração não existe fórmula pronta. Os conceitos sobre decoração minimalista que você aprendeu neste texto devem ser aplicados ao seu imóvel, à mobília disponível e à iluminação do local. Lembre-se de que se trata de um estilo que busca o consumo consciente.

Se você gostou deste artigo, compartilhe-o nas redes sociais! Será que seus amigos sabem o que é minimalismo?